Ah, caningação!

Finalmente,  meu drama com o passaporte acabou.

Como vi que tão cedo não ia conseguir vaga aqui em Natal, muito menos em Fortaleza, me mandei para Recife. Surpreendentemente, lá há muitas vagas, mesmo com toda a demanda.

Enfim, ontem, 4:30 fui a rodoviária pegar o ônibus de 06:30 para Recife (pia do desespero). Cheguei lá às 11:30 e peguei o metro. Meu horário da PF era 12:45, pensei “não é possível que eu não chegue a tempo”. Pior, cheguei às 12:45 exatamente.

Mesmo com o “atraso” (eles pedem para chegar 15 min antes do horário), a moça disse que não tinha problema e pediu meus documentos. Tudo certo, até ela pedir a merda do comprovante de votação. Eu tinha checado os documentos umas 50 vezes, mas é claro que eu tinha que esquecer alguma coisa. Comecei a ficar nervosa e a moça disse que eu podia imprimir uma declaração de quitação eleitoral no computador de lá. Me tremendo todinha fui lá e LÓGICO, não deu certo. Tentei mil vezes e deu erro.

Então, fiz o que qualquer pessoa madura e sensata na minha posição faria: comecei a chorar. 

Na hora que a moça falou “você vai ter que ir no TRE, fiquei louca. Acho que poucas vezes na minha vida eu fiquei tão desesperada. Imaginei logo o pior. Se não conseguisse fazer o passaporte, ia ter gasto dinheiro à toa e ainda não ia mais nunca na vida encontrar vaga. Ou seja, tava tudo arruinado.

Perguntei a ela onde ficava o TRE e ela perguntou onde eu morava [para me explicar onde fica]. Quando disse que morava em Natal, me desesperei mais ainda.

Mas bem, se tem uma coisa que eu tenho fé, a pesar de tudo, é nas pessoas. O mundo é cheio de maldade, coisas ruins, mas ontem eu tive mais uma prova da bondade das pessoas.

Atrás de mim, havia uma senhora que foi fazer o passaporte também. Essa senhora SE OFERECEU para ir me deixar no TRE. Tenha a impressão que ela é um anjo que veio me salvar.

Fui até o TRE pegar a tal declaração. Lá foi super rápido, questão de 5 min. Mas claro que tinha que dar problema com outra coisa. Eu tinha que chegar no DPF às 15h. Esperei o maldito ônibus por aeroporto 40 min e naaaaaada. Já tava entrando em pânico e resolvi perguntar a um rapaz, que trabalha em frente ao TRE, se ele sabia onde havia um ponto de táxi. Ele me disse que melhor eu pegar um ônibus – para um lugar que eu não lembro o nome – e de lá pegar um táxi.

Fiz isso. Só que o “tal lugar” NUNCA chegava. Eu comecei a ter a impressão de eu já tava chegando no Rio Grande do Sul com  tanto que aquele ônibus andava. E o que falar sobre o trânsito de Recife? Vamos só dizer que eu espero nunca ter que morar lá. Enfim, depois de 30 min, cheguei no tal lugar e até reconheci onde era, pois ficava perto de onde fiquei hospedada da outra vez que fui lá. Lembrei também que lá ficava perto do aeroporto e me acalmei mais um pouco.

Sai correndo, entrei num táxi e disse: “moço, COOOOOOOOOORRRRRRRRRRRA pro aeroporto”. O motorista saiu voado, xingando o pessoal na rua. Às 15h30min, cheguei ao bendito aeroporto.

Para minha sorte, a porta do DPF tava entreaberta. Entrei e, lá, a moça que tinha me atendido antes disse que eu esperasse lá.

Um minuto depois, entrei na sala e fui finalmente fazer o passaporte. Eu não conseguia nem acreditar que tava dando certo. O rapaz que fez todo o procedimento, aliás todo mundo lá, foram superatenciosos e  simpáticos comigo.

O que eu tiro de lição desse dia?

#1 toda atenção é necessária. Se eu tivesse lido direito a lista de documentos, eu não teria passado por isso. Aliás, tudo que aconteceu, desde não ter vaga para fazer o passaporte, foi culpa minha, que não fiz antes.

#2 nunca desista das pessoas. E tudo que vai volta. Gosto de ajudar todo mundo e até hoje nunca ninguém me deixou na mão. Não foi a primeira vez que uma estranho me ajudou.

O ciclo da ajuda é algo fantástico. Primeiro, ajudei essa senhora a realizar o agendamento dela, depois ela me ajudou me levando ao TRE. No TRE, pedi uma informação a uma senhora sobre o ônibus. Ela, ao ver que eu tava separando o dinheiro da passagem, perguntou se eu tinha suficiente. (Pelo menos isso eu tinha). No metro, voltando a rodoviária, ajudei uma moça de Campinas, que estava desesperada e meio perdida para pegar um ônibus (mesmo estando tão perdida quanto ela). Essa moça ajudou a uma menina grávida no metro. Enfim, são essas pequenas coisas que fazem toda a diferença.

Acho que antes de nascer, minha mãe pediu “COM EMOÇÃO”, por isso que tudo na minha vida é uma loucura.

O importante é que deu tudo certo. Agora é dar entrada no visto e comprar a passagem.

 

Advertisements

One thought on “Ah, caningação!

  1. Ai companheira que saga viu!!! Infelizmente o trânsito da minha cidade não tá mole não ¬¬ Eu tenho que aguentar isso todos os dias! Mas foi bom ter encontrado pessoas solidárias pelo caminho, também sinto isso de que a ajuda se multiplica ;D

    Agora se organiza BEM direitinho pq #rumoaoVISUM e dessa vez estarei de folga posso te ajudar de verdade 😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: